VI Simpósio de Biodiversidade 2017

Carregando Eventos
  • Este evento já passou.

VI Simpósio de Biodiversidade 2017

Evento VI Simpósio de Biodiversidade 2017

O Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade Animal, da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), com apoio do Centro de Ciências Naturais e Exatas (CCNE) e do Curso de Ciências Biológicas, tem o prazer de anunciar que no período de 22 à 24 de Novembro de 2017 será realizado o VI Simpósio de Biodiversidade 2017, em Santa Maria – RS. O evento terá como tema principal “Extinções: fatos, ameaças e perspectivas”.

Data: 22 a 24/11/2017
Local: Centro de Tecnologia da Universidade Federal de Santa Maria (CT – UFSM), Santa Maria – RS

 

Submissão de trabalhos científicos (Resumos)

 

Objetivo: O objetivo é promover a integração de estudantes, pesquisadores e profissionais e a divulgação de trabalhos científicos com foco na Biodiversidade.

 

Inscrições:

As inscrições do VI Simpósio de Biodiversidade 2017 devem ser realizadas no website do evento

 

————————————————————————————————————

Programação

 

22/11/2017 | Quarta-feira

9:00-10:00 Minicurso
10:00-10:20 Coffee-break
10:20-12:00 Minicurso
12:00-14:00 Almoço
15:00-16:00 Minicurso

 

23/11/2017 | Quinta-feira

8:30-9:00 Abertura
9:00-10:00 O início, o fim e o meio: do grande intercâmbio biótico das Américas à extinção da megafauna de mamíferos – Dr. Leonardo dos Santos Avilla (UNIRIO)
10:00-10:20 Coffee-break
10:20-12:00 Mesa Redonda: Extinções no registro fossilífero – Dr. Sérgio Dias da Silva (UFSM); Dr. Felipe Lima Pinheiro (Unipampa); Dr. Marco Brandalise de Andrade (PUC/RS)
12:00-14:00 Almoço
14:00-15:00 Diversidade florística do Bioma Pampa: potencialidades e ameaças – Dra. Elisete Maria de Freitas (Univates/RS)
15:00-16:00 Mesa Redonda: Extinções e áreas nrioritárias para conservação – Dra. Suzane Marcuzzo (UFSM) – Unidades de conservação particulares: estudo de caso de RPPNs na região central do
RS; Dr. Augusto Ferrari (UFRGS) – Unidades Biogeográficas, Áreas de endemismo e Conserv ação
Dra. Mariana Bender (UFSM) –
16:00-16:20 Coffee-break
16:20-17:30 Painéis

 

23/11/2017 | Sexta-feira

9:00-10:00 Ecologia e conserv ação de felídeos do Pampa – Dra. Flávia Pereira Tirelli (PUC/RS)
10:00-10:20 Coffee-break
10:20-12:00 Ecologia, conservação e extinção – Dr. Efraim Rodrigues (UEL)
12:00-14:00 Almoço
14:00-15:00 Extinção das abelhas – Dr. Charles Fernando dos Santos (PUC/RS)
15:00-16:00 Apresentações orais dos alunos do PPG de Biodiversidade Animal (UFSM)
16:00-16:20 Coffee-break
16:20-17:30 Painéis

 

Minicursos

  • Comportamento Animal: O curso apresentará as principais questões e hipóteses investigadas por ecólogos comportamentais: comportamento alimentar (estratégias de forrageio; teoria do forrageio ótimo), reprodutivo (seleção sexual; sistemas reprodutivos; cuidado parental), social (custos e benefícios da vida social; dominância social; territorialidade) e defensivo (comportamentos antipredatórios). Também apresentará os principais métodos usados em estudos de comportamento de invertebrados e vertebrados (p.ex. animal focal, ad libitum, scan), incluindo como elaborar etogramas e coletar dados. O público alvo são os estudantes de biologia, veterinária, zootecnia, ecologia e áreas afins.
  •  

  • Introdução ao uso de softwares em análises filogenéticas com caracteres morfológicos: No minicurso serão apresentados os passos básicos para elaboração de matrizes de caracteres morfológicos e processamento de dados em softwares computacionais de análises filogenéticas.
  •  

  • Obtenção de modelos tridimensionais a partir de fotografias digitais: Estudos anatômicos e morfológicos têm como base a comparação direta de espécimes que, por vezes, encontram-se depositados em coleções distantes do pesquisador. O principal método de registro e permuta de dados anatômicos ainda consiste no emprego de fotografias, que, apesar de válidas, não permitem contemplar o objeto de estudo tridimensionalmente. Este minicurso tem como objetivo capacitar os participantes, com base em fotografias digitais, na criação de modelos tridimensionais simples. A metodologia, por sua relativa praticidade e baixo custo, pode ser aplicada durante visitas a coleções, além de possibilitar o intercâmbio de dados tridimensionais de espécimes.
  •  

  • “Biodiversidade, desequilíbrios ambientais e doenças emergentes e reemergentes de origem viral”: Temas a serem abordados: 1. Conceitos em epidemiologia; 2. Caracterização de surtos, epidemias e pandemias; 3. Doenças emergentes e reemergentes de origem viral no Brasil e no mundo, com ênfase nas causadas pelos vírus Ebola, Marburg, Zika, HIV, HCV, Sabiá e Rocio; 4. Ecologia viral; 5. Ferramentas para o monitoramento de doenças infecciosas; 6. Biodiversidade e reservatórios virais; 7. Relação entre desequilíbrios ambientais e surtos/epidemias/pandemias de origem viral; 8. Importância da manutenção da biodiversidade para a prevenção e controle de surtos/epidemias/pandemias de origem viral; 9. Relação entre saúde humana, animal e ambiental (“One Health”) e doenças virais.
  •  

  • Uso de embriões de peixe-zebra em estudos de ecotoxicologia aquática: Embriões de peixe-zebra (Danio rerio; Zebrafish) são um modelo atraente para avalição ecotoxicológica de ambientes aquáticos sob risco de contaminação, uma vez que oferecem a possibilidade de avaliar diversos parâmetros toxicológicos em grande escala e em pouco tempo. O minicurso será dividido em dois momentos: primeiro será a introdução ao modelo, manutenção, reprodução e desenvolvimento; e um segundo momento voltado para a aplicação em estudos de ecotoxicologia, avaliação morfológica, comportamental e molecular.
  •  

  • Iniciação à ilustração científica: Minicurso de ilustração científica voltado para principiantes na área. O minicurso será dividido em dois momentos: Uma abordagem teórica com breve introdução à ilustração científica, materiais, técnicas e aplicações, e um segundo momento com experiência prática onde o aluno realizará na prática o que aprendeu na primeira abordagem.
  •  

  • Práticas em Filogeografia: O minicurso abordará amostragem de indivíduos, marcadores genéticos e programas de análises utilizados em estudos de Filogeografia. Serão demonstradas as seguintes análises: alinhamento e medidas de diversidade genética; construção de redes genealógicas de haplótipos; Análise de Variância Molecular (AMOVA), testes de neutralidade e BayesianSkylinePlot.
  •  

  • Diversificação de espécies impulsionada por caracteres-chave: Teoria e métodos de ponta: Com a constante disponibilização de filogenias bem resolvidas é uma questão de tempo até que a Evolução e a Ecologia se integrem de forma indissociável. Ideias que antes podiam ser consideradas especulações agora podem ser formuladas como hipóteses ecológicas e evolutivas. O surgimento de caracteres inovadores supostamente pode levar a um aumento da taxa de diversificação das espécies levando à ocupação de novos nichos. Métodos cada vez mais avançados de analises de modelos de diversificação estão disponíveis para teste de hipóteses evolutivas. Usando exemplos simples e dados obtidos na literatura, o presente minicurso pretende introduzir o conceito de caractere-chave e sua importância na 1. adaptação às mudanças ambientais constantes, 2. facilitação na ocupação de nicho antes vagos, e 3. influência no aumento da diversificação de linhagens. Os alunos, guiados pelo professor usarão o programa R para gerarem gráficos e os interpretarão à luz da ecologia e evolução dos grupos foco.
  •  

  • Introdução à Morfometria Geométrica: A morfometria geométrica é uma ferramenta de quantificação de estruturas biológicas, relativamente recente, que tem sido utilizada em diversos estudos taxonômicos, evolutivos e ecológicos. A partir desta ferramenta, é possível, não somente medir a variação biológica, mas também vizualizá-la através de grades de deformação e formas geométricas, facilitando a interpretação dos dados. O minicurso, tem como objetivo traçar um histório com relação a esta ferramenta e demonstrar, com exemplos práticos, como utilizá-la e entende-la.
  •  

  • Animais Peçonhentos: Lendas e realidades: Os animais peçonhentos representam um grupo importante na questão de saúde pública, desde a área farmacológica aos acidentes com os mesmos. Neste sentido, entender mais sobre esses animais desde informações simples como profilaxias e identificação do agente causador tornam-se de grande relevância, já que assim poderão ser evitados acidentes e caso ocorram, o tratamento clínico será de melhor eficiência. O minicurso será teórico-prático e tratará sobre a diversidade dos animais peçonhentos no Rio Grande do Sul, principais características, identificação, formas de prevenção a acidentes e as lendas que os envolvem.
  •  

  • Métodos de amostragem em Ecologia Marinha: Neste curso iremos mergulhar na variedade de métodos de amostragem de comunidades marinhas, buscando compreender a aplicação dos métodos, o desenho amostral no estudo de ecologia marinha, bem como os avanços recentes na amostragem subaquática. Extra: Breve introdução à Ecologia de peixes recifais.
  •  

  • Biodiversidade de aves da região central do RS: O minicurso será teórico-prático (se o tempo permitir). Os inscritos serão orientados em campo na identificação das aves. Depois as espécies encontradas serão revistas e estudadas com mais detalhes. Aspectos da biologia, distribuição e status de conservação serão abordados.
  •  

  • Introdução à programação em R.: O curso terá o enfoque em práticas de programação no ambiente R e na confecção de gráficos. Não é necessário nenhum conhecimento prévio. A linguagem R é hoje o principal meio para a realização de análises estatísticas nos mais diversos ramos da pesquisa científica, especialmente nas áreas biológicas e agronômicas. Este programa é extremamente flexível e facilita a utilização de diversos métodos estatísticos comuns na literatura, assim como a criação de aplicações específicas definidas pelo usuário. Além disso, é uma ferramenta poderosa para a criação de gráficos, permitindo a criação de animações e gráficos tridimensionais. Por ser uma linguagem de programação, o programa R compartilha diversas similaridades com outras linguagens, como Java, Python e C++, facilitando também a compreensão e programação nestas linguagens.
  •  

    Detalhes

    Início: 22 de novembro de 2017
    Término: 24 de novembro de 2017
    Website: Visitar Site do Evento

    Local

    Centro de Tecnologia da Universidade Federal de Santa Maria (CT – UFSM)

    Av. Roraima nº 1000 - Cidade Universitária - Bairro Camobi
    Santa Maria,RS97105-900Brasil

    + Google Map

    Telefone:

    +55 (55) 3220-8000

    Visitar Site do Local

    Organizador

    Simpósio de Biodiversidade 2017
    E-mail:

    Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *